Por administrador em 11/mar/2009

Forte Mobilização em Ato Público no Buritinga



Nove em cada dez professores da rede de ensino público do Distrito Federal interromperam suas atividades na manhã desta quarta-feira para participar de Ato Público em frente ao Buritinga. Cerca de oito mil professores estiveram presentes para exigir o cumprimento da lei e dos acordos firmados pelo governo que garante o reajuste salarial de 19, 98%.
Os professores receberam várias manifestações de repúdio à campanha de desinformação feita pelo GDF no Correio Braziliense e outros veículos de comunicação da cidade.
Apesar da forte mobilização da categoria, o secretário de educação José Luiz Valente irresponsavelmente orientou os pais a deixarem seus filhos na escola como se fosse dia letivo normal, expondo os alunos a riscos desnecessários em escolas sem professores para supervisioná-los. A frase mais ouvida foi: Professor na rua, Arruda, a culpa é sua!
A manifestação contou com enorme apoio da sociedade, com deputados, representantes de partidos políticos, sindicatos e movimentos estudantis expressando sua indignação com a atitude do governador e apontando as incongruências no discurso do governo, que alega que o reajuste é inconstitucional e que não há dinheiro para pagar os professores.
O governo diz que a receita do tesouro do Distrito Federal caiu 6, 9% em janeiro, comparado a janeiro de 2008. Mas dados do Sistema Integrado de Gestão Governamental do DF (SIGGO) demonstram que a receita desse período na verdade teve um aumento de quase 11, 4%, sem contar o aumento de quase 20% nas verbas repassadas pelo governo federal. Além disso, o aumento não é inconstitucional, pois não está vinculado definitivamente a nenhum índice, se tratando apenas de um reajuste para 2009 e 2010.
O próximo encontro dos professores já está marcado: Assembléia Geral às 9h30 do dia 7 de abril, em frente ao Buritinga.

Imprimir