Por administrador em 11/mar/2014

Estudantes de escola depredada fazem passeata para pedir fim da violência



Com faixas e cartazes, adolescentes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental protestaram ao redor de toda a QNO 19 do Setor O

Alunos do Centro de Ensino Fundamental 34, no Setor O, que tiveram a escola depredada durante o feriado de carnaval fizeram uma passeata nesta terça-feira (11/3) para pedir mais segurança no centro de ensino, o fim da violência e do tráfico de drogas no local. Alunos do Centro de Ensino Fundamental 31 também participaram do ato, que juntou cerca de 300 pessoas.

Com faixas e cartazes, os adolescentes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental protestaram ao redor de toda a QNO 19. Eles também distribuíram folhetos com as reivindicações dos estudantes, entre elas, a presença de vigilantes durante todas as noites no colégio, a contratação de porteiros permanentes e de auxiliares de disciplina, além da instalação de um circuito interno de segurança. O Batalhão de Policiamento Escolar (BPEsc) acompanhou a passeata, que foi pacifica. A 24ª Delegacia de Polícia (Setor O) investiga o ato de vandalismo que deixou 30% da escola destruída após uma invasão, durante o período em que o colégio estava sem vigias.

A sala dos professores foi danificada, lâmpadas, grades e portas foram quebradas, e parte da área externa foi incendiada. Os grupo rasgou livros da biblioteca, alguns deles nem chegaram a ser usados. Os vândalos levaram pelo menos um computador, mas em fevereiro, pelo menos dez já tinham sido furtados.

Na época da depredação, o diretor do colégio disse que a ação foi uma retaliação, porque na semana anterior ao episódio ele havia advertido os alunos que fumam maconha na escola. Ele chegou a pedir reforço da segurança no local, mas até hoje o centro de ensino continua sem segurança.

Fonte: Correio Braziliense

Imprimir