Por administrador em 22/fev/2010

CUT-DF entra com pedido de salvo conduto na CLDF



Desde que o deputado Wilson Lima (PR) assumiu a presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal, a galeria do plenário – local reservado à população para o acompanhamento das votações – está de portas fechadas. Para assegurar o direito constitucional do povo de acompanhar de perto as decisões da Casa, a CUT-DF encaminhará, nesta segunda-feira (22), um pedido de salvo conduto à Mesa Diretora da CLDF.

“É inadmissível que a população do Distrito Federal seja impedida de ver com os próprios olhos o que acontece na Câmara, umas das principais ferramentas políticas do Distrito Federal. Quem deve ter limite de liberdade são os parlamentares que colaboraram com o processo de corrupção no governo local e não o povo, parte prejudicada de todo este esquema”, justificou a presidente da CUT-DF, Rejane Pitanga.

O deputado Chico Leite (PT) já havia levado a questão à Mesa. De acordo com a chefia de gabinete do parlamentar, o acesso dos cidadãos à Casa já teria sido permitido, mas de forma gradual. O que vale ressaltar é que a galeria continua fechada mesmo diante do turbilhão de atividades que a Câmara vem desenvolvendo para apurar os casos de corrupção que envolvem o governador afastado José Roberto Arruda, o interino, Paulo Octávio, e deputados da base aliada. “Este tema interessa à população mais do que a qualquer outro segmento. Por isso exigimos a abertura imediata das portas da ‘casa do povo’”, afirmou Rejane Pitanga.

A Mesa Diretora da CLDF apreciará a ação judicial como ato administrativo e poderá ou não acatar o pedido. De acordo com a lei, não há prazo para que a Casa se manifeste.

Fonte: Assessoria de Comunicação da CUT-DF

Imprimir