Por administrador em 28/ago/2013

Entidades coletam donativos para trabalhadores que acamparão na Esplanada



Trabalhadores rurais de áreas ocupadas na Região Integrada de Desenvolvimento Econômico do Entorno do DF (Ride) ficarão acampados no gramado da Esplanada dos Ministérios entre os dias 2 e 5 de setembro. É desta forma que eles reforçarão suas reivindicações por reforma agrária, juntando-se aos trabalhadores urbanos que estarão em vigília no Congresso Nacional neste mesmo período para pressionar deputados e derrubar o Projeto de Lei 4330, o PL da Escravidão, que flexibiliza e precariza generalizadamente as relações de trabalho e enfraquece as organizações sindicais dos trabalhadores brasileiros.

A CUT Brasília está recolhendo donativos, como alimentos não perecíveis, cobertores e colchonetes, para assegurar a permanência dos trabalhadores rurais acampados. As doações também serão entregues nos assentamentos dos trabalhadores rurais que lutam pela reforma agrária. As doações devem ser entregues na secretaria de Administração da CUT Brasília, no SDS, bloco R, Ed. Venâncio V, subsolo, loja 14 (Conic).

O Sinpro aderiu à campanha de arrecadação de donativos e pede aos professores/as que façam suas doações durante o Dia Nacional de Paralisação (30/08), o qual terá concentração em frente ao Congresso, às 13 horas.

A CUT conta com a colaboração das entidades sindicais e sociais e da população em geral. As contribuições são fundamentais para avanço da mobilização e organização dos rurais na luta que travam para agilização da distribuição de terras, regularização de assentamentos, com oferta de crédito e assistência técnica, limitação de propriedades rurais para combater os latifúndios improdutivos e a superexploração promovida pelo agronegócio, e para o desenvolvimento agrário sustentável, com incentivo aos agricultores familiares.

A CUT Brasília entende que só com a união dos trabalhadores da cidade e do campo, com manifestações conjuntas e solidariedade de classe, que conquistaremos melhores condições de trabalho e vida para todos e poderemos avançar na construção de uma sociedade justa e igualitária.

 

 

Imprimir