Por administrador em 12/nov/2014

Dirigente da CUT debate democratização da mídia



O 1º Congresso Nacional dos Trabalhadores e Pesquisadores em Serviços de Telecomunicação (CONTTELP) está discutindo um conjunto de políticas e assuntos para traduzir em resoluções em favor dos profissionais da área.

Dentre os temas abordados, a ‘Democratização da Comunicação’ foi debatido após a palestra da secretária nacional de Comunicação da CUT, Rosane Bertotti. Ela também preside o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação.

“Precisamos debater este assunto porque falta clareza de informação. É necessário que as pessoas entendam que a liberdade de impresa precisa ser garantida, mas com princípios”, declarou Rosane Bertotti.

Segundo a secretária, a liberdade de imprensa precisa ser para todos e não para poucos. Rosane enfatiza que se faz necessário dizer não ao monopólio da Comunicação no Brasil e equilibrar os recursos públicos destinando-os aos pequenos veículos de alcance local e regional.

Durante sua palestra, ela colocou as dificuldades que as rádios comunitárias enfrentam hoje com uma legislação impraticavél na realidade, mas que vê vontade política no governo da presidente Dilma Rousseff. “Dilma demonstrou interesse na pauta e espero que ela efetive essa vontade porque precisamos da participação popular desempenhando o papel de comunicar”, frisou.

O 1º Congresso Nacional dos Trabalhadores e Pesquisadores em Serviços de Telecomunicação acontece a cada três anos e está sendo realizado no Sesc Praia, em Luís Correia, litoral do Piauí, pelo Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicação do Estado do Piauí (SINTTEL-PI) e a Federação Interestadual de Trabalhadores e Pesquisadores em Serviços de Telecomunicações (FITRATELP). Rosane Berttoti declarou apoiar a escolha do local por estar em um lugar fora do eixo tradicional onde se debate grandes temas como esse.

“Ter acesso a essas culturas é importante, o Brasil precisa se conhecer melhor, saber quem são as organizações de luta e apresentar suas realidades fora dos grandes centros”, concluiu.

O Congresso Nacional dos Trabalhadores e Pesquisadores em Serviços de Telecomunicação busca atuações para democratização da telecomunicação para melhorar as relações de trabalho entre operadores e empregadores e a vida da população.

“O serviço de telefonia móvel é de péssima qualidade, somos operadores deste sistema e devemos orientar a população de como deve se comportar no exercício de seu direito de cidadania e de usuário”, ressaltou presidente do SINTTEL-PI, João de Moura Neto. A programação do evento segue até a tarde de quinta-feira (14/11) com palestras e debates.

Além da terceirização e da democratização da comunicação, os trabalhadores vão discutir temas com: aposentadoria e reconhecimento da profissão de teleoperador, fazer uma análise de conjuntura, discutir e encaminhar novas alternativas para a construção da luta dos trabalhadores e pesquisadores em serviços de telecomunicações; apresentar o balanço das ações; promover alterações no Estatuto; além de discutir e aprovar um Plano de luta para categoria.

Fonte: CUT

Imprimir