Por administrador em 08/out/2010

Diretor sofre assédio moral e pede exoneração



O diretor da Regional de Ensino do Plano Piloto, Fábio Pereira, pediu exoneração do cargo e denunciará ao Ministério Público a prática de assédio moral na Secretaria de Educação. Fábio comunicou a decisão durante reunião pedagógica com os diretores de escola na manhã desta sexta-feira, 8, e disparou: foi pressionado pelo secretário de Educação a demitir todos os cargos de confiança que não estivessem engajados na campanha da candidata Weslian Roriz ou que fossem militantes do PT. “Para não tomar uma atitude tão sem ética, preferi me demitir”, afirmou.
Segundo ele, na última terça-feira, em reunião com os diretores de regionais de ensino, o secretário de Educação, Sinval Lucas, ordenou que todos dedicassem meio expediente do seu horário de trabalho para fazer campanha para Weslian. O secretário teria dito também que todos os cargos de confiança da Regional e das escolas deveriam fazer o mesmo, ou seja, usar o horário de trabalho para trabalhar em campanha. “Nós já temos carências de pessoal, como podemos aceitar impassíveis a esse tipo de ordem?”, questiona ele.
A denúncia de assédio moral indignou as diretoras e diretores de escola presentes ao encontro pedagógico, que aconteceu no teatro da Escola Parque 308 Sul. Natércia Ribeiro, diretora do Centro de Ensino Fundamental da 214 Sul considerou a atitude do secretário uma falta de respeito com a educação da cidade. “Sou diretora de escola há 18 anos e em respeito aos alunos das escolas públicas não podemos aceitar um uso político do Estado como pretende a Secretaria”, afirmou. Ela lembrou que os diretores são eleitos e não devem temer denunciar este tipo de pressão.
Para a diretora da Escola Classe 304 Norte, Roberta Callaça, “estão subestimando a inteligência dos dirigentes de escola e de toda a comunidade escolar”. “Além de segurarmos as mazelas da educação no DF, ainda temos que assistir a uma pessoa ser pressionada descaradamente a dedicar um período de seu tempo de trabalho para fazer campanha? É lamentável”, afirmou ela.
O Sindicato dos Professores no DF considera um exemplo a atitude do professor Fábio e condena todo e qualquer uso político da Educação. Temos informação de que os diretores regionais de Taguatinga, Gama e Samambaia também entregarão seus cargos. Mas são 14 regionais de ensino e realmente o Ministério Público precisa ficar atento para evitar a arregimentação de servidores públicos para trabalho eleitoral.

Imprimir