Por administrador em 14/out/2010

Diminui medo de perder emprego



Na terceira queda consecutiva, o Índice de Medo do Desemprego atingiu 81, 1 pontos em setembro, o menor nível desde o início da série, em 1996. O número é 1, 5% menor em relação a junho e 9, 1% mais baixo que a pontuação registrada em setembro de 2009. O indicador é elaborado trimestralmente pelo Ibope a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI). No mês passado, foram entrevistadas 3.010 pessoas empregadas em diferentes segmentos da economia, entre os dias 25 e 27.
Nessa pesquisa, mais da metade dos entrevistados, 55%, respondeu não temer a perda do emprego. Foi, também nesse quesito, o terceiro recuo consecutivo. Outros 30% disseram ter pouco receio de ficar sem trabalho. Entre os que afirmaram possuir muito medo de ficar desempregado, o percentual passou de 16% em junho para 15% em setembro.
O coordenador da unidade de política econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, atribui o baixo medo do desemprego ao otimismo da população com o mercado de trabalho. É, também, consequência do maior ritmo de expansão do PIB, que resulta na maior oferta de emprego com carteira assinada. O economista destacou também o fato de as regiões metropolitanas registrarem as mais baixas taxas de desemprego em termos históricos. Como a tendência é de continuidade do crescimento e da oferta de emprego formal, a CNI avalia que o índice deverá registrar recuo no último trimestre do ano.
Uma mudança na trajetória descendente do indicador é tida como improvável e somente ocorrerá, conforme análise de Castelo Branco, se houver uma modificação no ritmo de expansão do nível de atividade, ocorrência que não está prevista nos cenários da CNI formulados para o próximo ano.
Com informações do site da CNQ

Imprimir