Por administrador em 05/jun/2014

Dia do Meio Ambiente: quem está fazendo o que pela sobrevivência do Planeta?



chacara 756Estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 1972, marcando a abertura da Conferência de Estocolmo sobre Ambiente Humano, celebrado anualmente desde 1973 no dia 5 de Junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente cataliza a atenção e ação política de povos e países para aumentar a conscientização e a preservação ambiental.

Os principais objetivos das comemorações são: mostrar o lado humano das questões ambientais;  capacitar as pessoas a se tornarem agentes ativos das ações de sustentabilidade do planeta; promover a compreensão de que é fundamental que comunidades e indivíduos mudem atitudes em relação ao uso dos recursos e das questões ambientais e advogar parcerias para garantir que todas as nações e povos desfrutem um futuro mais seguro e mais próspero.

O Planeta chega ao Dia Mundial do Meio Ambiente em momento crítico. É preciso agir e, agir agora, para minimizar os impactos da sociedade de hoje sobre as futuras gerações.

Em um momento em que a Natureza se apresenta especialmente inquieta, com manifestações causadas ou não pelo Homem – mas que cobram um preço alto em vidas –, tais como furacões furiosos, enchentes devastadoras, deslizamentos letais, invernos glaciais, chegamos ao Dia Mundial do Meio Ambiente chamando não somente à reflexão, mas, principalmente, à ação de todos em defesa da vida.

Todos temos como contribuir – direta ou indiretamente – para que as sociedades caminhem rumo à sustentabilidade e para que a harmonia entre o desenvolvimento socioeconômico e a conservação da natureza deixe de ser mera utopia.

Atitudes individuais e coletivas, como o consumo consciente no dia a dia, e a exigência da população pelo cumprimento das leis por órgãos governamentais em todos os níveis são fundamentais.

À iniciativa privada cabe não somente investir em conservação do meio ambiente, mas, principalmente, assumir uma postura de responsabilidade socioambiental, trabalhando de dentro para fora, com adequação de suas cadeias produtivas e meios de produção, distribuição etc.

Entendendo que à sociedade civil organizada cabe conceber e aplicar soluções, realizar campanhas, mobilizar e facilitar o engajamento de indivíduos, governos e iniciativa privada num esforço conjunto para o bem comum das gerações de agora e do futuro, a Diretoria do Sindicato dos Professores no DF (Sinpro-DF) multiplica seus esforços para concluir as instalações do Centro de Referência em Educação Socioambiental,na Chácara do Professor, empreendimento que se propõe a ser um centro de trocas e difusão de conhecimento e práticas ambientalistas saudáveis para a comunidade escolar, movimentos sociais e universidades.

O espaço é construído a partir de tecnologias de construção que resgatam práticas ambientalmente corretas, utilizadas ao longo da história de ocupação do território brasileiro pelo homem, como taipa pilada, pau a pique, superadobe.

Paralelamente, áreas degradadas vêm sendo recuperadas para a proteção das nascentes, preocupação primordial nos tempos atuais, uma vez que o Cerrado, nosso bioma é reconhecido como o berço das águas para o Brasil e outros países da América do Sul.

 

 

Imprimir