Por administrador em 02/jun/2014

Delegados aprovam plano de ações e propostas políticas e organizativas



Termina neste sábado (31) a 14ª Plenária Estatutária da CUT Brasília. O dia está destinado principalmente à definição do Plano de Ação da CUT e das entidades sindicais filiadas para os próximos doze meses.

O período da manhã será destinado a um debate de integração de lutas com os movimentos sociais. Entre as importantes campanhas conjuntas estão a democratização dos meios de comunicação e a reforma política. São bandeiras fundamentais para atacar o poder econômico das elites na sociedade brasileira, que manipula informações e desequilibra completamente a representação social e política em prejuízo dos trabalhadores.

À tarde, os quase 300 delegados e delegadas dos 90 sindicatos, federações e confederações filiados definirão o plano de ações da CUT Brasília para enfrentar os ataques patronais aos direitos e conquistas e defender um projeto de desenvolvimento de interesse da classe trabalhadora.

Além da apresentação de propostas de alterações estatutárias necessárias para adequar a organização da Central à luta sindical e política, a Plenária homologará ajustes na composição da diretoria e, finalmente, elegerá a delegação que levará e defenderá as propostas de Brasília na Plenária Estatutária Nacional dentro de dois meses em São Paulo.

Veja a programação deste sábado (31):

• 9h às 12h – Debate Movimentos Sociais
• 12h30 às 14h – Almoço
• 14h às 15h30 – Plano de Lutas
• 15h30 às 15h45 – Intervalo do lanche
• 15h45 às 17h – Estatuto
• 17h às 17h30 – Homologação da atual diretoria da CUT Brasília
• 17h30 – Eleição dos delegados e delegadas à Plenária Estatutária Nacional, nos dias 28, 29, 30, 31 de julho e 1º de agosto, em São Paulo
• 18h – Encerramento

Leia também:

>>> Equidade de gênero e paridade na representação são aclamadas na Plenária de Mulheres

>>> 14ª Plenária Estatutária da CUT Brasília organiza entidades para avançar na luta

>>> 14ª Plenária: O desafio dos trabalhadores é combater ataques neoliberais a direitos

>>> Dirigente CUTista aponta urgência da reorganização para continuar a luta

Imprimir