Por administrador em 11/abr/2012

Declaração indecente de Agnelo reforça luta da categoria



O tiro saiu pela culatra. A bravata do governador Agnelo Queiroz, de qualificar de “indecente” e “imoral” o movimento legítimo dos professores produziu um efeito que ele não esperava: quarta (11) o Sinpro recebeu vários telefonemas de escolas que ainda estavam funcionando e cujos professores se reuniram e decidiram paralisar suas atividades por conta da reação destemperada e antidemocrática do governador.

É o caso, por exemplo, das Escolas Classes 05 e 06 do Cruzeiro e do CEF 01 da Estrutural, que, após reunião e de analisarem a entrevista do governador, decidiram paralisar em conjunto suas atividades, em protesto pela falta de respeito demonstrada por aquele que havia prometido agir diferente de governadores anteriores.

Nos telefonemas eles manifestaram indignação principalmente pela mentira de que estávamos sugerindo o uso de dinheiro da merenda para pagar professor, o que é um absurdo por si só, mas mais ainda se lembrarmos que durante todo o ano as escolas padeceram com falta de merenda de qualidade. Muitas delas ficaram a base de sucrilhos boa parte do ano passado! É muita hipocrisia vir agora com esse discurso justamente quando toda a população sabe a realidade das escolas!

É isso aí companheiras e companheiros, vistamos nossa indignação, nossa certeza de que merecemos um tratamento mais digno e respeitoso e vamos participar de todas as atividades convocadas pelo Sinpro!

 

Imprimir