Por administrador em 13/dez/2010

CUT organiza ato em defesa do mínimo de R$ 580



A Central Única dos Trabalhadores (CUT) realizará, na próxima quarta-feira (15), uma manifestação em defesa da política de valorização do salário mínimo e do seu aumento para R$ 580, 00. O ato está sendo convocado para as 10 horas, em frente ao Ministério da Fazenda, e dialoga com a prioridade colocada pela presidenta eleita, Dilma Rousseff, de erradicar a miséria em nosso país. A manifestação em frente ao Ministério da Fazenda também expressará o protesto da classe trabalhadora brasileira contra a possibilidade de corte de gastos nos investimentos públicos, nos recursos do próprio Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e de arrocho nos salários dos servidores. Tais medidas, na compreensão da CUT, representam um tiro no pé do crescimento e atentam contra o papel indutor e cada vez mais central do Estado no processo de desenvolvimento.
Na avaliação do presidente da CUT, Artur Henrique, “como já ficou fartamente demonstrado, a manutenção da política de valorização do mínimo é o melhor caminho para erradicar a miséria, prioridade colocada pela presidenta Dilma Rousseff”. O conjunto dos dirigentes expressou uma total contrariedade com as colocações expressas pelo deputado federal Cândido Vaccarezza que, em entrevista às páginas amarelas da Revista Veja, destilou desinformações e preconceitos contra o movimento sindical e os direitos históricos da classe trabalhadora. Até o final da reunião será formulada uma nota oficial da entidade sobre as desastrosas colocações do parlamentar, que volta a colocar em pauta a “agenda dos derrotados nas últimas eleições, como a flexibilização das relações trabalhistas”, declarou Artur. “As propostas de Vaccarezza vêm na contramão de tudo o que se defendeu no confronto com a direita”, acrescentou.
A manifestação em frente ao Ministério da Fazenda também vai expressar o protesto dos cutistas contra recentes declarações do ministro Guido Mantega sobre corte de gastos nos investimentos públicos e arrocho nos salários dos servidores. Na próxima quarta-feira, a CUT também participará na capital federal do encontro dos movimentos sociais com o presidente Lula. A cerimônia está marcada para as 15 horas no Palácio do Planalto. Lá, durante o encontro, a manifestação em defesa do salário mínimo de R$ 580 também será feita pela delegação da CUT.
Com informações do site da CUT

Imprimir