Por administrador em 16/jan/2014

Congresso da CNTE deve reunir cerca de 2500 pessoas até domingo (19)



Trabalhadores da educação se reúnem entre quinta-feira (16) e domingo (19) no 32º Congresso da CNTE, em Brasília. Dentre as pautas de reivindicações, estão a aprovação de investimentos exclusivamente no ensino público e o cumprimento da lei do piso. O evento também vai aprovar um calendário de manifestações, a primeira (provavelmente) será em março.

A categoria reafirma a necessidade de que 10% do PIB seja investido exclusivamente em educação pública, diferente do que foi aprovado no texto do PNE no Senado, em dezembro, que pode permitir o repasse do dinheiro para instituições privadas. “A grande escola brasileira é a escola pública, aquela que inclui e é aberta para todo mundo. Essa é a escola que está com dificuldade e é esta a escola que precisa receber investimentos públicos”, diz o presidente da CNTE, Roberto Franklin de Leão.

Também será reivindicado a implementação da jornada do piso, de acordo com a lei 11.738, determina que 33% da jornada seja cumprida com atividades fora da sala de aula. Atualmente a lei do piso é cumprida integralmente no Acre, Ceará, Pernambuco, Tocantins e o Distrito Federal.

Os(as) companheiros(as) defendem também que o reajuste do valor do piso seja condizente. “O governo já repassou aos estados e municípios R$ 117 bilhões, o que permitiria um reajuste entre 13% e 15%. No entanto, o reajuste anunciado, de 8,32%, corresponde a um repasse de R$ 111 bilhões”, diz o presidente da CNTE.

Durante o congresso, também ocorrerá eleição para renovação da diretoria. O paulista Franklin está na presidência desde 2008.

(Com informações da Rede Brasil Atual)

Imprimir