Por administrador em 11/fev/2014

Confederação acompanha 1ª reunião da Comissão Especial que analisa o PNE



A comissão especial do Plano Nacional de Educação teve a primeira reunião do ano nesta terça-feira (11). O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin de Leão, acompanhou a audiência na Câmara. No encontro, o presidente do colegiado, deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), sugeriu um cronograma de trabalho para o grupo.

O relator do Plano Nacional de Educação (PNE – PL 8035/10), deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), disse que espera finalizar a votação do projeto na comissão especial ligada ao tema até março. Depois disso, o texto segue para o Plenário.

A proposta, que traz metas da educação brasileira para a próxima década, foi aprovada na Câmara em 2012. O Senado fez algumas alterações no texto, que voltou para análise dos deputados no final do ano passado.

Entre as principais mudanças, segundo Vanhoni, está a destinação dos investimentos em ensino. O texto da Câmara prevê o gasto de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação pública. O projeto aprovado no Senado mantém a meta de 10%, mas não restringe os gastos ao setor público. Na prática, podem entrar na estatística de cumprimento da meta aquelas verbas aplicadas em convênios ou programas de financiamento do ensino privado, por exemplo.

Busca de consenso – A comissão especial do Plano Nacional de Educação teve a primeira reunião do ano nesta tarde (11). O presidente da CNTE, Roberto Frnaklin de Leão, acompanhou a audiência na Câmara. No encontro, o presidente do colegiado, deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), sugeriu um cronograma de trabalho para o grupo. “Queremos ser ágeis, mas sem deixar margens a dúvidas no que votaremos”, ponderou. “A celeridade que todos desejamos não deve comprometer a necessidade de buscarmos o consenso”, acrescentou Vanhoni.

O colegiado voltará a se reunir no próximo dia 19.

Após a análise do PNE na Câmara, projeto segue para sanção da presidente da República, Dilma Rousseff.

(CNTE com informações da Agência Câmara Notícias)

Imprimir