Por administrador em 16/nov/2010

Comunidade se mobiliza contra fechamento de escola



Os pais, alunos e professores da Escola Classe Guariroba estão mobilizados para impedir o fechamento da escola. Localizada na área rural de Samambaia, a escola atende a cerca de 200 crianças, da educação infantil até o 5º ano do ensino fundamental.
“Se a escola fechar elas terão que ser transferidas para escolas de Taguatinga e percorrer todos os dias mais de 15 quilômetros de ônibus, o que significará riscos e transtornos para pais e alunos”, afirma o vice-diretor, Fernando Travassos.
O terreno em que se localiza a escola é próximo à Estação de Tratamento de Esgoto da Caesb, que reivindica a área da Terracap para ampliar a quantidade de tanques de decantação. “Não questionamos a necessidade da Caesb de aumentar a sua capacidade, mas acreditamos que a escola não pode ser extinta simplesmente, a comunidade precisa dela aqui e a demanda também tem aumentado todos os anos”, afirmou o vice-diretor. Segundo ele, a Caesb não procurou a direção da escola para discutir a questão e buscar uma solução que não signifique prejuízo para os alunos.
O Sinpro sempre defendeu o direito de a comunidade escolar ser atendida próxima ao local de moradia e principalmente para os que moram na área rural.
O Conselho Escolar da escola já apresentou denúncia à Procuradoria da Educação, solicitando a intervenção do Ministério Público. Eles fizeram um abaixo-assinado e na próxima segunda-feira, dia 22, a partir das 10h, farão um ato público em frente à escola.

Imprimir