Por administrador em 27/nov/2014

Com manifestação de grevistas, aumenta adesão à paralisação na Cobra



O segundo dia de greve dos trabalhadores de Tecnologia da Informação da Cobra não trouxe resultado no que diz respeito à reabertura das negociações, mas cresceu a adesão à paralisação para exigir uma contraproposta satisfatória da empresa a respeito das cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2014/2015.

O Sindpd, sindicato que representa a categoria no DF, convocou os servidores a se encontrarem na 508 Sul na manhã de quarta (28). “Para convencer os trabalhadores da Cobra que ainda não aderiram ao movimento, foi deliberado em assembleia que em cada dia da greve nos concentraríamos próximo a um dos locais de trabalho para nos manifestar e buscar aumentar a adesão”, explica a diretora de Saúde e Condições de Trabalho do Sindicato, Maria do Socorro.

Dezenas detrabalhadores compareceram ao ato pacífico na 508 Sul, que deu maior visibilidade ao movimento grevista iniciado após quatro mesas de negociações que já não surtiram o efeito desejado.

Segundo o Sindpd-DF, a adesão à greve, que no primeiro dia alcançou 80% dos funcionários da empresa, já chega à quase totalidade dos trabalhadores, que esperam conseguir aumento real de 5%, reposição inflacionária e avanço nas cláusulas sociais, como o combate ao assédio moral verificado em filiais de todo o país.

Na última terça feira (25),representantes da BS Tecnologia, terceirizada que presta serviços à Cobra agrediram grevistas que estavam realizando ato pacífico em frente ao Ed. Dona Ângela, no Setor Comercial Sul. Nesta quinta-feira, 27/11, a greve continua com concentração novamente no Ed. Dona Ângela.

Imprimir