Por administrador em 03/dez/2008

CNTE leva “inimigos da educação” para marcha



A CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) levará para a 5ª Marcha da Classe Trabalhadora da CUT, que acontece nesta quarta-feira (03), em Brasília, faixas e estandartes com as fotos de cada um dos governadores considerados “Inimigos da Educação”, numa crítica aos chefes do Executivo de dez estados que ajuizaram ou apoiaram a ADI 4167 questionando a Lei 11.738/08, que instituiu o Piso.
A manifestação contará com o apoio maciço dos educadores, que estarão no bloco da CNTE, a ser identificado por balões com as logomarcas da entidade e da Campanha do Piso. Cerca de 40 ônibus de vários estados (só da Educação) estão a caminho de Brasília e mais de 1.700 pessoas já confirmaram presença.
Um dos pontos mais contestados da ADI é a denominação de vencimento básico em vez de piso. Os governadores afirmam que o vencimento básico não contempla as gratificações, que passam a vir como horas extras. Questionam também o dispositivo da lei que prevê que o professor dedique um terço da carga horária de trabalho em atividades extra-classe. A exigência forçará os estados a contratarem mais professores, o que alegam não ter orçamento para isso.
Para Roberto Leão, presidente da CNTE, essa ação dos governadores é política, pois estados mais pobres da federação como Alagoas e Piauí já pagam o piso salarial. Segundo Leão, “se os estados e os municípios brasileiros não puderem honrar um compromisso tão modesto com esta geração de estudantes, precisam, urgentemente, repensar o papel do Estado e dos governos para com a sociedade”.
Os profissionais de educação, que marcharão pelo Piso e contra os Inimigos da Educação, se unirão a milhares de trabalhadores de diversas categorias e de todas as regiões do Brasil para pressionar os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário a incluir no Orçamento da União e nos projetos nacionais as propostas e a agenda do movimento sindical dos trabalhadores.
A mobilização de rua começou às 8h30, com concentração das delegações no Estádio Mané Garrincha. Às 10h, os trabalhadores deram início à 5ª Marcha, que percorrerá o Eixo Monumental em direção ao Congresso Nacional, onde haverá ato político por volta das 13h. Depois, um novo ato público acontecerá em frente ao Ministério do Trabalho e Emprego.
Saiba quem são os inimigos da educação: Roberto Requião, do Paraná; Yeda Crusius, do Rio Grande do Sul, Luiz Henrique da Silveira, de Santa Catarina; André Puccinelli, do Mato Grosso do Sul; Cid Gomes, do Ceará; Marcelo Miranda, de Tocantins, José Serra, de São Paulo; José de Anchieta Junior, de Roraima; Aécio Neves, de Minas Gerais e José Roberto Arruda, do Distrito Federal.

Imprimir