- SINPRO-DF - http://www.sinprodf.org.br -

CEMEIT de Taguatinga é patrimônio cultural do DF

BPS_5739 [1]O Centro de Ensino Médio Escola Industrial de Taguatinga (CEMEIT) foi reconhecido como Patrimônio Cultural do Distrito Federal. O decreto de tombamento foi assinado pelo governador Agnelo Queiroz, nesta sexta-feira (30), durante a 11º edição do “GDF Junto de Você”.

“Esse tombamento é histórico. Essa escola é ponto de referência na cultura da cidade. Nós precisamos preservar todo tipo de manifestação cultural”, disse o governador, durante visita ao espaço.

O reconhecimento é uma reivindicação antiga da população, que lançou a campanha “Viva EIT”, em 2009, a qual reuniu mais de mil assinaturas de cidadãos para solicitar a preservação do espaço. Para o secretário de Educação, Marcelo Aguiar, o tombamento é o reconhecimento de uma luta histórica dos artistas da cidade e da cultura na formação dos jovens. “É a recuperação de um espaço cultural importante”, completou.

PROCESSO– O processo de tombamento foi iniciado, em 2006, pelo movimento cultural da cidade – a Associação Cultural Tribo das Artes – que, junto ao Sinpro, entrou com uma ação para pedir o tombamento do bem. Em 2007, o grupo conseguiu um tombamento provisório.

COMPLEXO – Localizada no coração de Taguatinga, a EIT sempre desempenhou um papel de vital importância para toda a comunidade, nas áreas de educação, cultura e lazer. O galpão onde funcionava o curso de marcenaria da escola abriga hoje a primeira biblioteca pública de Taguatinga, a Machado de Assis.

Lá estão também o Teatro da Praça, principal palco cultural da cidade, instalado na antiga gráfica da EIT, a Academia Taguatinguense de Letras e a Biblioteca Braille Dorina Nowill, criada com o objetivo de atender os deficientes visuais do Distrito Federal.

“É a primeira vez que um governador do DF nos visita. Até então, nesses 19 anos, éramos considerados inexistentes. A vinda dele mostra o contrário”, observou uma das professoras da Biblioteca Braile, Ana Denise.

HISTÓRIA – A EIT foi criada com o intuito de ser a primeira escola de Ensino Profissional da capital federal. Fundada em 1959, começou a funcionar em fevereiro de 1961, e passou a integrar a rede pública de ensino. Mas o ato oficial de criação ocorreu apenas em 1966. A partir de 1976, começou a ministrar aulas dos ensinos Fundamental e Médio.

Atualmente, a escola não oferece mais os cursos profissionalizantes, apenas a etapa do Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA), em três turnos. Durante o dia estudam 1.474 alunos, do 1º ao 3º anos do Ensino Médio. À noite são cerca de 350 estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

(Da Agência Brasília)