Por administrador em 10/mar/2010

CEF Maria Ervilha: até quando esperar?



Os professores do Centro de Ensino Fundamental Miriam Ervilha, localizado em área semi-urbana de Samambaia, estão pedindo solução urgente para os problemas de segurança da escola. Na última segunda-feira um professor foi assaltado a mão armada nas proximidades da unidade escolar, que não tem muros e sofre há tempos com a falta de estrutura. Os problemas são recorrentes e a comunidade já ouviu várias promessas, mas até o momento nada foi feito.
Para piorar o clima de insegurança, as aulas de educação física são ministradas em uma quadra de esportes que fica ao lado, e os estudantes sofrem constantes ameaças.
Os membros do conselho escolar e do conselho de segurança se reuniram nesta quarta-feira com o diretor da Regional, Carlos Magno, e pediram urgência na construção de um muro, além de um estacionamento dos professores na área interna da escola e uma quadra de esportes.
A regional informou que o muro será construído até agosto, mas os conselhos pediram que isso seja feito o mais rápido possível, para garantir a tranquilidade de alunos e trabalhadores. O Sinpro, que participou da reunião, com a presença do professor Claudio Antunes, apoia a decisão dos conselhos.

Imprimir