Por administrador em 11/abr/2012

Categoria permanece unida após 33 dias de greve



Em cada atividade de convencimento, assembleia ou reunião de mobilização o sentimento entre os professores e professoras é um só: união e luta pelos direitos da categoria. Mesmo com todo destempero do governador Agnelo em rotular de “indecente” e “imoral” o movimento legítimo dos professores, todos e todas tem a certeza de que foi a partir da garra histórica da categoria que o governo resolveu sentar para conversar e apresentar uma proposta à categoria. “O que percebemos é que o governo teve noção que a greve existe e é para valer. Depois da última assembleia e do nosso acampamento abriu-se um diálogo mais aberto graças à nossa mobilização”, ressalta a professora Cleunice Martins dos Reis.

Já a professora Cícera Dutra afirma que a luta é necessária porque o professor precisa ser valorizado, já que é a categoria que forma a sociedade de amanhã. “O acampamento é necessário e não vamos sair daqui enquanto não conquistarmos uma proposta positivo”, diz. Um grande número de professores(as) estão reunidos desde a manhã de quarta-feira (11), em frente ao Buriti. “O acampamento está mostrando toda unidade da categoria, fato que fortalece o movimento. Nossa movimentação está forçando o governador a apresentar uma proposta após um mês de greve”, comemora a professora aposentada Ilze Dias.

É por tudo isto que precisamos continuar unidos, porque merecemos um tratamento mais digno e respeitoso do governo e, principalmente, uma proposta que contemple nossas reivindicações. Para isto vamos participar das atividades convocadas pelo Sinpro porque o sucesso de nossa greve depende do empenho de cada um.

Imprimir