Por administrador em 13/abr/2012

Categoria mantém greve. Todas(os) à assembleia geral nesta terça, 17



Professoras e professores decidiram, por ampla maioria, na manhã desta sexta-feira, dia 13, manter a greve da categoria e realizar nova assembleia no dia 17, terça-feira. A decisão foi tomada durante assembleia geral realizada no estacionamento do Teatro Nacional após rejeição sumária da proposta apresentada na noite de quinta-feira (12) pelo governo do Distrito Federal. Em 13 de abril de 2011, neste mesmo local, a categoria havia decidido aceitar o acordo proposto pelo GDF de reestruturar o Plano de Carreira em três etapas. Passado um ano e após 33 dias de greve, além de não cumprir o acordo, o governo ainda apresenta uma proposta que se distancia e muito da perspectiva de isonomia com as outras carreiras.

Indignação foi o sentimento comum demonstrado pela categoria nos pronunciamentos feitos durante a assembleia. Respondendo aos ataques do governador em entrevista no telejornal DFTV 2ª Edição, da Rede Globo, que foi ao ar na noite de terça-feira (10), professoras e professores classificaram a proposta do GDF de “imoral” e “indecente” (termos que Agnelo utilizou para “definir” a greve e as reivindicações da categoria).

Passeata – Da assembleia, as professoras e professores saíram em passeata (foto) pelo Eixo Monumental até a Praça do Buriti, onde a categoria permanecerá acampada.Com bandeiras, apitos e vuvuzelas, os manifestantes ocuparam as seis pistas da via. A intenção é manter o acampamento até que o governo apresente uma proposta que atenda às reivindicações da categoria.

Amanhã,14,  a partir das 7 horas, as professoras e professores farão um ato na abertura da Bienal Internacional do Livro e da Leitura, na Esplanada dos Ministérios. A próxima assembleia será na terça-feira, dia 17, às 9h na Praça do Buriti.

 

Imprimir