Por administrador em 15/abr/2014

Campanha da Voz 2014 percorre as escolas da rede pública do DF



Oficinas e triagens com fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas são algumas das atividades que irão ocorrer até o dia 21 na Capital da República

Seja amigo da sua voz é o tema da campanha deste ano para comemorar o Dia Mundial da Voz e, para isso, fonoaudiólogos estarão no decorrer das semanas, de 10 à 21 de abril, orientando a população sobre a importância da voz e quais os cuidados que se deve ter para manter uma voz saudável.

Durante este período, os brasilienses terão a oportunidade de participar de uma programação com oficinas, vivências, palestras e debates a respeito do assunto em centros de saúde, hospitais, centros de convivência, escolas da rede pública, empresas e universidades. Além disso, terão a oportunidade de passar por exames e avaliações da qualidade vocal.

Segundo a coordenadora da campanha, Dianete do Vale, o evento tem o objetivo de alertar a população para ações educativas voltadas para a conscientização vocal e suas implicações na comunicação, na saúde e na cultura.

A comemoração, segundo ela, visa propiciar o entendimento da voz como veículo de relacionamento e as funções orgânicas, físicas e mentais, com isso promovendo ações que favoreçam a conscientização da sociedade quanto à importância da saúde vocal, a prevenção em relação às alterações na mesma e divulgar a importância da educação vocal desde a infância,

Segundo levantamento realizado com os professores da rede pública do Distrito Federal, 74% destes profissionais apresentam alterações de voz, como rouquidão, perda da voz, pigarro e cansaço para falar. Essas alterações vocais estão, muitas vezes, relacionadas ao trabalho, com constantes afastamentos e licenças, o que acarreta importante impacto social, econômico, profissional e pessoal.

O prejuízo com o afastamento de professores com alterações vocais pode, segundo dados da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFA)  ultrapassar a cifra de R$ 100 milhões ao ano no país, além de afetar a qualidade do ensino, e a motivação do aluno. “Esses profissionais, na maioria das vezes, não têm orientação sobre como utilizar a voz de forma adequada, o que poderia evitar uma série de transtornos”, diz a coordenadora.

Como alerta sobre a importância do assunto, ela diz que é necessário lembrar, ainda, que o Brasil ocupa o segundo lugar na incidência de câncer de laringe, decorrente principalmente do uso do cigarro e bebidas alcoólicas.

A iniciativa da SBFA conta com o apoio da Associação Profissional dos Fonoaudiólogos do Distrito Federal (APFDF), Secretaria de Estado de Saúde do DF, Escola de Música de Brasília (EMB), Centro Universitário Planalto (Uniplan), Universidade de Brasília e Conselho Regional de Fonoaudiologia 5ª Região.

E-mail para contato: dianete@terra.com.br, Telefone: (61) 8448-0471

 

 

Imprimir