Por administrador em 26/maio/2011

Auxiliares da educação do DF encerram greve nesta quarta



Os auxiliares de educação do Distrito Federal encerraram, nesta quarta-feira (25/5), a greve que perdurava desde o dia 9 de maio. De acordo com o secretário-geral do Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar (SAE-DF), Denivaldo Alves, a categoria retornará ao trabalho normalmente nesta quinta-feira (26/5).

“O objetivo [da greve] não foi atingido em 100%, mas fiquei satisfeito”, disse Denivaldo. A decisão de encerrar a paralisação foi tomada em assembleia, nesta tarde, em frente ao Palácio do Buriti. Algumas propostas reivindicadas pela categoria já haviam sido aceitas pela Secretaria de Educação. No entanto, havia um impasse nas demais exigências por conta do orçamento do Distrito Federal.

O Governo do Distrito Federal apresentou, por meio de nota, os compromissos firmados com a categoria. A nota é assinada por Denilson Bento da Costa, Secretário de Estado de Administração Pública do Distrito Federal, e por Regina Vinhaes, Secretária de Estado de Educação dos Distrito Federal. Confira, na íntegra, a nota abaixo.

O Governo do Distrito Federal, representado pelo Secretário de Estado de Administração Pública e pela Secretária de Estado da Educação, ciente da importância da valorização da Carreira de Assistência à Educação do DF, vem a público firmar os compromissos abaixo elencados.

– Instalação imediata de Grupo de Trabalho visando à análise e à proposição de reestruturação do Plano de Carreira, bem como proposta de incorporação da GATA a partir de outubro de 2011. O Grupo tem como prazo o mês agosto de 2011 para a conclusão dos trabalhos;
– Apresentação, de proposta de Plano de Saúde, a ser implementado em janeiro de 2012;
– Apresentação, até julho/2011, de cronograma de ampliação da carga horária de trabalho;
– Reajuste do Auxilio Alimentação para R$ 304,00, a partir de julho/2011;
– Garantia de implementação dos itens da pauta de reivindicação já negociados com a Secretaria de Estado de Educação;
– Continuidade da Mesa Permanente de Negociação para discussão dos demais itens da pauta de reivindicação da categoria, ainda não contemplados;
– Negociação da reposição dos dias parados, visando estabelecer calendário de reposição, discutindo na Mesa Permanente de Negociações.

O Governo ratifica o compromisso assumido com o setor, salientando que potencializou todos os recursos necessários ao atendimento das reivindicações da categoria.

Greve

Os auxiliares da educação ficaram em greve por 17 dias. A paralisação prejudicou serviços de secretaria, limpeza, vigilância, merenda, marcenaria, gráfica e outros. A categoria reivindicava a realização de um concurso público, reajuste do tíquete alimentação, implantação de plano de saúde, reajuste de salário e incorporação de gratificações.

Jornal Correio Braziliense

Imprimir