Por administrador em 07/fev/2014

Artigo – Escutar professores para um salto de qualidade dos gastos educacionais



“Transformar as demandas dos professores em políticas de Estado pode ser um dos caminhos mais simples para que o salto de qualidade que tanto queremos na educação aconteça”, afirma Gesley Fernandes

No mês de janeiro, a UNESCO lançou o 11° Relatório de Monitoramento Global de Educação para Todos. Esse relatório apresenta o tamanho do problema para se equacionar a educação de qualidade para todos, pois analisa os baixos níveis de alfabetizados e o custo que isso implica aos governos.

Mas o que chama atenção é que o mesmo fala de um ator dentro do debate de educação que muitas vezes não tem a devida atenção a sua fala: o professor.

A UNESCO indica que 250 milhões de crianças não atingem níveis satisfatórios de aprendizado, e que isso implica em um custo de 129 bilhões de dólares. É interessante que o relatório aponta que mesmo países desenvolvidos têm seus gastos “perdidos” pois uma parcela dos jovens não atinge a escolarização desejada.

Para minimizar tal problema, a UNESCO aponta que os gastos com treinamento da equipe docente é fundamental, inclusive com políticas de atração dos melhores quadros para a carreira. E aqui é interessante fazer um contraponto com as políticas educacionais que se tem feito em nosso país e em particular no estado de São Paulo, onde posso acompanhar mais de perto.

Vemos muitas vezes que os professores são vozes minoritárias dentro das formulações das políticas educacionais, e são menos ouvidos ainda quando se trata de suas carreiras, estas que se transformam em simples braços de ferro entre governo e sindicatos. Os professores como profissionais que estão “no chão da fábrica” das escolas, têm privilegiada condição de alinhar sua práticas com as necessidades de seus educandos, e quando esse profissional não pode ser ouvido, se tem um cenário onde por mais dinheiro que se gaste na educação, essa não surte os resultados esperados ou esses demoram muito a acontecer.

Ter os docentes como parceiros e até mesmo atores fundamentais na elaboração de políticas educacionais é fundamental para um salto nos resultados da educação. Transformar as demandas dos professores em políticas de Estado pode ser um dos caminhos mais simples para que o salto de qualidade que tanto queremos na educação aconteça.

Para maiores detalhes do relatório, acesse o site da UNESCO:

Imprimir