Por administrador em 15/jul/2014

Após quatro dias de paralisação de terceirizados, patrões pagam benefícios atrasados



Trabalhadores das empresas Juiz de Fora, GIE Serviços e Omni asseguraram o recebimento dos tíquetes alimentação/refeição atrasados desde o mês passado, em reunião realizada entre representantes da Secretaria de Governo, Secretaria de Planejamento, das empresas e do Sindiserviços. O encontro aconteceu na sede do Governo do Distrito Federal, na tarde desta segunda-feira (14).

A reunião só foi marcada após manifestação realizada na extensão dos nove quilômetros do Eixo Monumental entre a rodoviária do Plano Piloto e a Rodoferroviária.  Os trabalhadores fizeram ato pela manhã, na frente da sede da empresa Juiz de Fora, e, posteriormente, seguiram em caminhada pelo Eixo até o Palácio do Buriti. O protesto contou com aproximadamente 1.200 trabalhadores das áreas de conservação, merenda e vigilância que reivindicavam pagamento em dia dos salários, tíquete-refeição e vale transporte.

Nesta segunda (14), primeiro dia de volta às aulas, as escolas públicas das cidades satélites de São Sebastião, Paranoá, Itapoã, Gama, Santa Maria, Riacho Fundo I e II, Sobradinho, Planaltina, Núcleo Bandeirantes, Recanto das Emas, Samambaia, Estrutural, Guará e Plano Piloto tiveram seu funcionamento afetado pela suspensão dos trabalhos por parte dos terceirizados.

O diretor de Comunicação do Sindiserviços, Antônio de Pádua Lemos, destaca que a situação nas escolas se normalizará nesta terça (15), pois, além do pagamento dos benefícios, o movimento obteve dos empresários a promessa de abono dos dias não trabalhados.

No total, já foram quatro dias de paralisação como forma de pressão pela regularização dos pagamentos. De acordo com o Sindiserviços, a paralisação atingiu 760 merendeiras da GIE Serviços e 1.240 auxiliares de serviços gerais da Juiz de Fora, que prestam serviços nas escolas da Secretaria de Educação e no Hospital de Base da Secretaria de Saúde do GDF.

Imprimir