Por administrador em 21/set/2010

Alunos de escolas públicas do DF participam de projeto educativo



A faixa etária parece precoce, a partir dos 2 anos, mas eles demonstram muito interesse por aprender sobre a história de Brasília, principalmente sobre a sua construção artística. Graças ao Programa Educativo da galeria ECCO (Espaço Cultural Contemporâneo), alunos das mais variadas escolas tem agenda marcada para visitar a exposição AOS VENTOS QUE VIRÃO (Brasília 1960 – 2010), uma mega exposição que conta toda a história cultural da Capital, desde a década de 50 aos dias de hoje, e que ficará em cartaz até sexta, dia 24 de setembro. Os alunos ficam encantados em ver de perto obras de Alfredo Volpi, Alfredo Ceschiatti, Athos Bulcão, Roberto Burlemarx e Rubem Valentim dialogando com Elder Rocha Lima Filho, Elyeser Szturm, Vicente Martinez, até chegar a Camila Soato, Polianna Morgana, Chico Amaral entre tantos outros.
SOBRE O PROGRAMA EDUCATIVO
O ECCO Educativo é uma verdadeira ferramenta para ser utilizada na melhoria da qualidade da educação. Sua proposta inclui relacionar a arte com as demais áreas do conhecimento, capacitando professores e educadores para isto. É mais do que um simples programa de visitação mediada a exposições e eventos em espaço cultural. Sua meta é educar e promover a inclusão social, através da cultura, além de contribuir na formação continuada dos educadores. Além disso, sugere atividades a serem desenvolvidas na escola e fora dela, desde as séries iniciais do ensino fundamental até o ensino superior.
A cada exposição é promovida uma formação para os profissionais de ensino de todas as áreas e níveis do conhecimento com os artistas, o curador e a equipe do educativo. São palestras interativas onde os professores se familiarizam com o universo da arte e mais especificamente com a exposição em questão. É confeccionado um material educativo impresso, adequando-se a disciplinas do currículo escolar, especialmente elaborado para o uso em sala de aula e utilizando os PCN´s como referência. A idéia é relacionar a arte com as demais áreas, promovendo um trabalho interdisciplinar. Depois dessa formação, os professores poderão trabalhar seus alunos na escola para a segunda etapa do programa, que são visitas guiadas para os estudantes, sob a orientação de monitores, que são estudantes universitários.
Após a visita, os alunos produzem dentro da oficina de arte do espaço, um material a partir da percepção que tiveram da exposição. Ao término da exposição, é feita uma premiação para os melhores trabalhos, respeitando-se as diversas faixas-etárias que visitam o espaço. Nesse terceiro momento, integram-se as famílias que prestigiam os “artistas premiados, elevando a auto estima e despertando novas habilidades. A proposta da Educação Integral é oferecer uma educação mais ampla, que ultrapasse os muros escolares, promovendo a ampliação dos horizontes e das perspectivas dos alunos da rede pública de ensino. O tempo integral não significa ampliar a carga horária das disciplinas já existentes , mas oferecer outras opções de aprendizagem que possam enriquecê-las, especialmente com aplicações práticas.
Nesse sentido o programa do ECCO educativo tem muito a colaborar com a Educação Integral, transpondo muros e propondo sonhos. Educar através da arte, da sensibilização de todos os envolvidos no processo educacional. É preciso formar cidadãos mais bem informados e mais bem formados. Dessa forma, todas as etapas do programa do educativo citadas anteriormente, retratam essa contribuição. O programa é importante instrumento de democratização ao acesso a arte e de complementação de formação para participantes. É o único programa educativo em espaços culturais da cidade que tem ação continuada, vínculo com o currículo escolar e reconhecimento de extensão pela UnB, bem como que oferece atividades práticas diárias em espaço adequado para todos os visitantes. Em média, são capacitados 300 participantes por exposição e o ECCO em condições de receber até 600 alunos por dia.

Imprimir