Por administrador em 24/abr/2009

Ação de corte de ponto aguardará possível negociação



Por decisão do comando de greve, o Sinpro informa que aguardará o calendário de mobilização aprovado pela categoria para dar entrada judicial para garantir o pagamento dos dias parados. Na segunda-feira (27), os professores realizam assembléias regionais para detalhar a proposta apresentada pelo governador. No dia seguinte, 28, a categoria realizará assembléia geral para definir os rumos do movimento grevista. O encontro será às 10 horas, em frente ao Palácio do Buriti, logo após realização do ato unificado dos servidores públicos do GDF contra o PL 1180, que começa às 9 horas e conta com a participação dos professores.
Caso seja necessário entrar com a ação o Sinpro argumentará que somente após a declaração da ilegalidade da greve é que se pode discutir a possibilidade de corte de ponto. Eles argumentarão ainda que a lei de greve em vigor recomenda que essa questão seja objeto de negociação após o fim da paralisação.
A respeito da substituição o Sinpro alega que a qualidade do ensino será precarizada, pois algumas aulas seriam repostas e outras não e, como a categoria tem o compromisso da reposição dos dias letivos integrais, melhor seria aguardar a reposição para a recuperação de todo o conteúdo. No entendimento do Jurídico, essas medidas tem o claro propósito de cercear o direito constitucional de greve, intimidando professores.

Imprimir