Por administrador em 20/set/2013

23% dos alunos acham que educação integral evita violência, diz pesquisa



Pesquisa da Fundação Itaú Social realizada pelo Instituto Datafolha aponta que 23% dos alunos com 16 anos ou mais acham que a educação integral é uma forma de evitar criminalidade, violência e o uso de drogas. A pesquisa ouviu 2.060 estudantes, sendo 85% da rede pública, de 132 municípios brasileiros. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (19) pelo Itaú Social.

O objetivo do estudo foi o de avaliar o conhecimento da população brasileira sobre o tema educação integral, além de investigar os vários conceitos existentes e a percepção sobre diferentes práticas já adotadas por redes de ensino no país.

Os resultados mostram que 63% dos estudantes com 16 anos ou mais já ouviram falar nessa prática, sendo que 40% a associam ao aumento da carga horária na escola e 22% a atividades extracurriculares. O aumento da jornada escolar é a percepção mais comum entre quem estuda ou estudou na rede particular (50%).

A pesquisa ainda revela que 90% dos entrevistados acham que a educação integral é necessária para o futuro das novas gerações. Outros 50% acreditam que traz melhora no nível da educação, 30% responderam que é necessária porque ocupa o tempo livre de crianças e adolescentes. Há também 12% que apontam a prática como um investimento no futuro, pois prepara o jovem para o mercado de trabalho e ainda 12% que percebem que os pais podem trabalhar mais despreocupados.

Em uma etapa final do estudo foram mostrados três exemplos ilustrativos de práticas já adotadas no país por uma escola, por uma ONG e por clubes, igrejas, empresas e espaços públcios. Entre os principais resultados estão: 29% não confiam no trabalho das ONGs e acha que estão relacionadas a casos de corrupção e desvio de verbas, e 27% não gostam do envolvimento da religião com educação.

Com informações do G1

Imprimir