Por administrador em 24/abr/2013

Caic Unesco: Sinpro vai apurar assédio moral



 

O Jurídico do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) foi acionado nesta semana para acompanhar as investigações de assédio moral sofrido pela diretora do Caic (Centro de Atendimento Integrado da Criança) Unesco de São Sebastião por parte da Secretaria de Educação do DF (SEDF) e da Coordenação Regional de Ensino (CRE) daquela região administrativa. Desde setembro do ano passado, quando o muro do Caic Unesco foi pintado por 46 artistas da cidade, a direção do colégio vem sendo pressionada a retirar seis dos 103 painéis pintados por fazerem críticas políticas e sociais. A comunidade já se manifestou contra a retirada das pinturas.

Segundo a diretora da Secretaria de Imprensa do Sinpro, Cláudia Bullos, a diretora do Caic Unesco chegou a receber ligação do próprio secretário de Educação para a retirada dos seis painéis. Cláudia Bullos ressalta que a pintura dos painés foi previamente autorizada pelo Conselho Escolar daquele Caic, bem como pela CRE de São Sebastião, que o fez oficialmente. “A livre expressão é um direito constitucional. Além disso, a postura da Secretaria e da Regional contradiz os princípios da gestão democrática”, disse a diretora do Sinpro. Logo que foi pressionada, a diretora do Caic submeteu o caso ao Conselho Escolar que se manifestou pela permanência das pinturas no muro da escola.

Há 15 dias, a SEDF abriu sindicância para apurar os fatos. Ontem, dia 23, pais e mães de alunos(as), artistas da cidade, políticos, professoras(es) e estudantes fizeram um protesto contra a retirada das pinturas do muro da escola e pelo arquivamento da sindicância. A manifestação ocorreu em frente ao muro do Caic, que foi abraçado simbolicamente pelos presentes. Neste mesmo dia a vice-diretora da escola foi chamada para dar explicações à Secretaria de Educação.

Em um documento, a secretaria deixa claro que tem a intenção de apagar parte da pintura. São seis painéis que mostram, entre outros, a fila do SUS, abobrinhas saindo da boca de um político, o Congresso Nacional com um saco de dinheiro em cima. O responsável pela equipe de artistas convidados para pintar o muro, Francisco Metamorfose, disse que o trabalho “Não é crítica para causar tudo isso, foi para educar, despertar nas pessoas, a situação tanto política como a social da nossa cidade”.

Nas ruas, a população não concorda com a ideia de ter que apagar os painéis, até porque antes os muros eram cobertos por pichações.

Imprimir