Por administrador em 09/nov/2012

Sintego pressiona e governador goiano desiste da ADIN 4848



Após a manifestação dos professores, organizada pelo Sintego nesta quinta-feira(8), o governador Marconi Perillo anunciou, em reunião com a presidenta Iêda Leal, a tesoureira Bia de Lima, o presidente da Fetems, Roberto Botareli, e o diretor Financeiro da CNTE, Antônio Lisboa, que vai desistir da ADIN 4848 e defender a proposta da Confederação(que é o INPC mais 50% do Fundeb) para a nova fórmula de aumento do Piso salarial dos professores.Durante a reunião, os sindicalistas manifestaram ao governador a preocupação com as perdas irreparáveis que a mudança na fórmula do reajuste, somente pelo INPC, provocará na carreira dos professores e, consequentemente, na educação brasileira.
“Se prevalecer o reajuste apenas pelo INPC, em dez anos um professor estará ganhando um salário mínimo”, analisa a presidenta do Sintego, Iêda Leal. Ela pondera, entretanto, que há uma possibilidade muito grande de aprovação do PL 3776/08, que vincula o reajuste apenas ao Índice Nacional de Preço ao Consumidor e, por isso, considera positiva a negociação com o governo goiano para a desistência da ação e a defesa da proposta da CNTE de reajuste salarial para os professores.“Todos concordamos que só o INPC não dá, então temos a proposta do Índice mais 50% do Fundeb. Continuaremos com a carreira valorizada”, conclui.
Marconi Perillo disse que concorda com o acordo de desistência da ação, que começou a ser costurado com o governador André Puccinelli, no mês passado e também vai assinar um termo em que o governo de Goiás abre mão de questionar a constitucionalidade do artigo 5º da Lei 11.738/08.“Nós vamos, na semana que vem, assinar esse termo e eu vou demonstrar também o desinteresse em relação à ADI, numa perspectiva de que o diálogo entre o governo, o sindicato e a Confederação é fundamental para construirmos uma agenda positiva, sinérgica, em benefício dos educadores”, declarou o governador.

Manifestação

Centenas de professores de Goiás, Brasília, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul participaram da manifestação contra os inimigos da Educação, organizada pelo Sintego/CNTE na manhã de hoje, em Goiânia. Em função da chuva, o evento foi transferido para o Jóquei Clube e a caminhada até o Palácio Pedro Ludovico Teixeira foi cancelada.

De Goiás, vieram professores ligados às 37 Regionais Sindicais. Alvorada/Posse, Trindade, Campos Belos, Anápolis, Itumbiara, Goiatuba, Itapaci/Crixás, Silvânia, Jataí, Rio Verde, Goianésia/Jaraguá, Luziânia/Valparaíso, Itapuranga, Aragarças, Quirinópolis, Ceres, São Luís de Montes Belos, Piracanjuba, Aparecida de Goiânia, Morrinhos/Caldas Novas, Iporá, Cidade de Goiás, Catalão, Inhumas, Água Lindas de Goiás, Formosa, Ipameri, Itaberaí, Jussara, Minaçu, Mineiros, Palmeiras de Goiás,
Planaltina, Porangatu, São Miguel do Araguaia, Uruaçu.

“O reajuste pelo custo-aluno do Fundeb foi importante nesses primeiros anos de implantação da lei para o resgate e a valorização da carreira dos professores, mas temos consciência de que essa fórmula se esgotou, então,convencer o governador Marconi Perillo a desistir da ADI e aceitar a noss é uma grande vitória, agora precisamos avançar e garantir que a nossa proposta de reajuste seja acatada”, disse Bia de Lima.

Imprimir