Por administrador em 05/fev/2013

1688 novos companheiros/as: como não comemorar?



Quem esteve na Eape na tarde do último sábado presenciou um momento de grande emoção: ao receberem a notícia da nomeação de 1688 novos professores na rede pública de ensino no início do ano letivo, muitos dos concursados/as de 2010, que naquele momento estavam reunidos com a diretoria do Sinpro para organizar um movimento pela nomeação, não seguraram o choro. Se abraçaram emocionados, felizes por ingressarem finalmente no quadro da nossa carreira. Viram ali o fruto da luta empreendida com muita disposição e mobilização.

A contratação de um número tão expressivo de novos educadores deve sim ser comemorada como uma grande conquista da escola pública e não apenas por aqueles que foram nomeados. Todos sabem que combater a política de precarização das contratações temporárias em vagas definitivas é uma bandeira histórica do Sinpro. Queremos mais? Sim, queremos! Continuaremos a lutar para que o banco de contratos temporários seja utilizado para suprir as carências provisórias ocasionadas pelas variadas licenças a que os professores têm direito, inclusive de poderem usufruir do benefício da licença-prêmio em sua plenitude.

A contratação de novos profissionais que conquistaram esse direito por meio de um concurso público beneficia a toda a comunidade escolar e é fundamental para o fortalecimento de nossa carreira. Empreender essa luta não significa deixar de lado a batalha da nossa campanha salarial, basta ver que mesmo durante o recesso a diretoria do Sinpro se articulou e conseguiu abrir importantes espaços de retomada das negociações.

A luta continua pela nomeação de todos os concursados e para que todas as vagas definitivas sejam ocupadas por concursados, pelo bem da escola pública.

Imprimir